CBD e a Endometriose

CBD e a Endometriose

O que é a Endometriose?

 A endometriose é uma doença benigna, que se caracteriza pela proliferação do tecido chamado endométrio para fora da cavidade uterina, local em que ele normalmente se desenvolve. O crescimento do endométrio faz parte do ciclo reprodutivo da mulher. Ao longo desse período, o tecido cresce, e quando não ocorre gravidez ele é eliminado em forma de menstruação. Entretanto, em algumas mulheres algumas células desse tecido migram no sentido oposto, podendo subir pelas tubas e chegar à cavidade abdominal, multiplicando-se e provocando a endometriose.

Uma das teorias para explicar o aparecimento de endometriose é que um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a condição estiver presente na genética familiar. 

É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente tem em torno dos 30 anos.

De acordo com a Associação de Endometriose, entre 10% a 15% de mulheres em idade reprodutiva (13 a 45 anos) podem desenvolvê-la e há 30% de chance de que fiquem estéreis.

SINTOMAS

Os principais sintomas da endometriose são dor e infertilidade. Aproximadamente 20% das mulheres têm apenas dor, 60% têm dor e infertilidade, e 20% apenas infertilidade.

Entre os sintomas mais comuns estão:

  • Cólicas menstruais intensas e dor durante a menstruação;
  • Dor pré-menstrual;
  • Dor durante as relações sexuais;

  • Dor difusa ou crônica na região pélvica;

  • Fadiga crônica e exaustão;

  • Sangramento menstrual intenso ou irregular;

  • Alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação;

  • Dificuldade para engravidar e infertilidade. 

Hoje em dia, existem diversos tipos de tratamentos não invasivos, que podem reduzir o número total de procedimentos a que a paciente é submetida. Vale ressaltar que a endometriose é uma doença crônica, e por isso o acompanhamento médico contínuo é fundamental.

PREVENÇÃO

Não há consenso médico sobre as causas que levam ao desenvolvimento da endometriose, de modo que ainda é difícil falar diretamente em prevenção. Entretanto, diversos estudos sobre as características das mulheres que têm a doença ajudam a medicina a se aproximar de maiores respostas.

Com um debate científico ainda bastante acalorado sobre as causas da endometriose, o melhor que as pacientes podem fazer para manter a saúde em dia é consultar regularmente o ginecologista. Observar os sintomas e conhecer seu corpo também são atitudes que ajudam a perceber alterações, indicando a necessidade de voltar mais cedo ao consultório.

Onde é que o CBD entra e pode auxiliar na gestão da condição?

O sistema Endocanabinóide, que ativa fisiologicamente na regulação do metabolismo, também está associado ao controlo dos hormônios do ciclo menstrual.

Pacientes que desenvolvem endometriose apresentam uma falha em partes do Sistema Endocanabinóide, fazendo com que o corpo entre em desequilíbrio, num estado inflamatório, com dores constantes.

Sendo o CBD um poderoso anti-inflamatório, os canabinóides assumem características como o bloqueio da proliferação e migração celular, ou seja, impedir que as células do endométrio se multipliquem desenfreadamente durante a menstruação e se acoplem a outros órgãos. Eles também podem bloquear a síntese de substâncias pró-inflamatórias, modular a resposta imunológica e reduzir a dor.

Constando que existe uma melhoria significativa na sintomatologia que acompanha a condição como:

  • Complicações Gastro-intestinais;
  • Náusea;
  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Sono;
PROPRIEDADES DO CBD A FAVOR DA CONDIÇÃO:
  • Analgésico ( ativa o receptor TRVP1); 
  • Anti-inflamatório;
  • Antiespasmódico;
  • Ansiolítico; 
O CBD pode também reduzir o tamanho das lesões ou tecidos da endometriose, assumindo um efeito anti-angiogênico (inibe a angiogênese que é a formação de novos vasos sanguíneos, inibindo a progressão da doença crónica).
Complementares com maior taxa de sucesso na gestão: 
  • Omega-3 
  • Vitaminas do complexo B 

Qual método de administração do CBD que melhor se adequa?

TOPICAMENTE: cremes de CBD proporcionam efeito de alívio da dor, agindo localmente com as propriedades anti-inflamatórias e analgésicas;

INALADO(através de vapes ou flor): exerce efeito rapidamente, gerando alívio instantâneo mas com baixa durabilidade;

VIA ORAL(óleo de CBD): demora um pouco mais para atingir a corrente sanguínea, mas assim que alcança, o seu efeito será sustentado durante horas, gerindo a maior parte do dia.

Não existem doses-padrão no CBD. Considerando que a variabilidade está enraizada em muitos fatores individuais como o metabolismo, peso, histórico de contacto com canabinóides...

PARA CONCLUIR...

Podemos concluir que o CBD poderá revolucionar e tornar-se um forte aliado na gestão de doenças crónicas como a Endometriose.

Sobretudo por ser 100% Natural e orgânico, com um baixíssimo perfil de risco, o CBD pode se tornar cada vez mais num recurso para as mulheres que enfrentam as dificuldades que esta condição pode implicar, num estilo de vida saudável e confortável.

Consulta aqui a nossa gama de produtos de CBD que se podem tornar no aliado na gestão da doença crónica.